DOR EM MEMBROS BENIGNA

Por Dra. Luciana Hangai

A dor em membros benigna é uma queixa comum na Pediatria. Muitas vezes é chamada de dor de crescimento apesar de que até hoje não tenhamos a comprovação desta relação.

Ocorre em crianças entre os 6 e 13 anos, predominante nas pernas (membros inferiores) e bilateral. Apresenta como características:

– ser extra articular ( não afeta as juntas)

– tem intensidade e duração variável ( de minutos à horas)

– ocorre mais no final da tarde e à noite, podendo estar associadas à atividade física e estresse

– não interfere nas atividades diárias da criança

– não há claudicação (a criança não manca!!!!)

– não há sinais de inflamação da articulação, como inchaço, vermelhidão e aumento da temperatura articular

– não há febre

– é bilateral e a criança não consegue determinar um só ponto, pois a dor é difusa.

– pode ter períodos de melhora ou piora

– é comum a queixa de dor de cabeça e de barriga nestes pacientes

A causa da dor em membros benigna ainda é desconhecida, mas alguns fatores podem ser desencadeantes :

– esforço físico

– atividades esportivas

– esforços repetitivos ( tablets, videogames, mais comuns nas dores de membros superiores)

– estresse psicológico ( como um dos principais fatores de piora ou desencadeamento da dor)

– distúrbios do sono (sono não restaurador)

– excesso de atividades extracurriculares.

O diagnóstico correto é fundamental. Assim, durante a investigação deve-se excluir todas as condições que provocam dor, desde patologias ortopédicas, assim como as traumáticas, infecciosas, tumorais e hematológicas.

Temos que ficar atentos a situações como:

  • Dor recente e que aparece sempre no mesmo lugar
  • Alteração do estado geral da criança como febre, emagrecimento, desânimo, cansaço
  • Presença de sinais como inchaço, calor e dor na articulação

O tratamento restringe-se ao uso de calor no local, massagens e analgésicos comuns.

Não podemos esquecer ou minimizar os distúrbios emocionais que essas crianças possam apresentar.

A presença de uma equipe multidisciplinar necessária para lidar com essa questão com o intuito de melhorar, ajudar e dar suporte a essa família deve sempre ser considerada.

Mais uma vez, mamães e papais, a parceria da família com  o pediatra é fundamental. Só assim poderemos ajudar !!!!! Um beijo imenso a todos.

Anúncios