Coluna Oftalmologia

Olá Mamães, tudo bem? É com imenso prazer que trazemos mais uma novidade para vocês do Mãe de Meninas. Hoje tem início aqui no blog a Coluna de Oftalmologia, que será escrita mensalmente pela querida mamãe e médica Dra. Luciana Peixoto Finamor, que possui formação em Medicina pela Universidade Federal de Uberlândia e residência em Oftalmologia pela Universidade Federal de São Paulo, onde desenvolveu projetos de pesquisas ligados a doenças inflamatórias (autoimunes) e infecciosas oculares. Participou ativamente de grupos de discussão e da coordenação do Ambulatório de Uveítes dessa Universidade. Possui trabalhos científicos nas literaturas nacional e internacional. Defendeu tese de Doutorado no Ano de 2003, tendo sido pioneira em pesquisas que avaliaram a Telemedicina como uma ferramenta para diagnósticos remotos. Atualmente é médica da Clínica de Olhos Moacir Cunha e colaboradora da Fundação Oftalmológica Dr. Rubem Cunha.

Esperamos que vocês aproveitem muito as informações da nossa nova colunista e à Dra. Luciana deixamos aqui nosso desejo de muito sucesso!

Post 1

E, para iniciar essa coluna, a Dra. Luciana escolheu um tema que costuma gerar muitas dúvidas nas mães. Boa leitura!

SAÚDE OCULAR NA INFÂNCIA: QUANDO DEVE SER O PRIMEIRO EXAME?

Por Dra. Luciana Peixoto Finamor

O olho é o mais importante órgão sensorial para o desenvolvimento global da criança, visto que 80% das informações que chegam ao cérebro são transmitidas através da visão.

Estima-se que haja no mundo cerca de 1,5 milhão de crianças cegas e destas, aproximadamente 100 mil estão na América Latina.

Um atraso no diagnóstico e tratamento de doenças oculares e/ou de erros refracionais da infância (miopia/ hipermetropia/astigmatismo) pode gerar danos importantes no desenvolvimento visual e intelectual das mesmas. Por isso, é fundamental a realização de exame oftalmológico adequado nos pequenos.

E quando isso deve acontecer? Na verdade, não existe um consenso absoluto em relação ao primeiro exame, mas algumas diretrizes já estão bem definidas e devem ser seguidas.

O QUE É O TESTE DO REFLEXO VERMELHO DE BRUCKNER OU “TESTE DO OLHINHO”

É o mais importante teste precoce de triagem visual. O teste tem como objetivo identificar alterações na transparência das estruturas oculares. É capaz de ajudar no diagnóstico das principais causas de cegueira na infância, incluindo o Retinoblastoma, um tipo raro e grave de tumor ocular, catarata e glaucoma congênito.

O exame deve ser realizado de  rotina em  todo recém nascido, de preferência ainda na maternidade, por oftalmologista ou pelo pediatra, e repetido posteriormente, visto que algumas doenças podem não estar presentes nos primeiros 30 dias de vida e virem a se manifestar após o primeiro mês. Toda criança com alteração no Teste do Reflexo Vermelho deverá ser encaminhada para exame detalhado com oftalmologista. Se você perceber, em alguma foto do bebê (com flash), diferença na cor da pupila entre os dois olhos, o pediatra ou oftalmologista deverá ser informado.

Crianças prematuras, ou que tiveram diagnóstico de alguma doença infecciosa congênita (conhecidas como TORCH: Toxoplasmose, Rubéola, Citomegalovírus e Herpes), devem ser também referenciadas ainda no primeiro mês de vida ao oftalmologista, para avaliação especializada. É obrigatório que as pupilas sejam dilatadas para exame de fundo de olho.

Como saber se o meu bebê apresenta problemas de Visão?

No primeiro mês de vida, o bebê pode fixar um objeto e segui-lo por alguns segundos. Nessa idade, a criança fixa os olhos da mãe e pode perceber o seu rosto. Por volta do terceiro mês, a criança já deve acompanhar o movimento dos objetos, e quando a fixação é interrompida, deve retorná-la sem dificuldades. Nessa idade, a criança começa a brincar com as mãos, pois está conseguindo focalizá-las.

Entre o quinto e o sexto mês de vida, começa a reparar em um novo objeto que entra em seu campo visual e procura sempre alcançá-lo.

Além desse comportamento visual, deve-se observar se a criança apresenta qualquer sinal que indique problemas de visão, como estrabismo (olho torto) ou fotofobia (sensibilidade à luz).

Analisar o aspecto externo dos olhos é também importante. Lacrimejamento excessivo pode ocorrer nos primeiros meses de vida e indicar obstrução de vias lacrimais. A abertura palpebral deve ser igual em ambos os olhos; a conjuntiva não deve estar vermelha ou com secreção; a córnea (camada mais anterior do olho) deve estar brilhante e transparente; a pupila deve ser negra, redonda e possuir o mesmo tamanho nos dois olhos.

Qualquer alteração notada, seja no comportamento visual ou no aspecto externo, deve ser comunicada ao pediatra ou oftalmologista. Alguns sintomas que podem indicar que algo errado está acontecendo:

  • coceira excessiva nos olhos
  • piscamento frequente
  • desvio ocular (olho torto)
  • sensibilidade exagerada à luz
  • lacrimejamento excessivo
  • hordéolo de repetição (Terçol)
  • dificuldade de leitura (nas crianças maiores)

Se você não nota nenhuma das alterações mencionadas acima e o Teste do Reflexo Vermelho foi normal, a recomendação é que seja feito um primeiro exame com oftalmologista (sempre com dilatação da pupila) entre 1 e 2 anos, e um segundo exame até os 5 anos de idade, quando a criança está sendo preparada para a alfabetização. Após os 5 anos, até a adolescência, recomendamos exame anual ou à cada 2 anos.

Caso observe alguma dificuldade para ler ou ver televisão, é preciso redobrar a atenção. Dificuldades para acompanhar as lições podem estar associadas aos erros de refração visual e atrapalhar o desenvolvimento escolar. De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, em cada 20 estudantes do ensino fundamental, três têm alguma deficiência e precisam de óculos.

Indicações específicas, ficam à critério do pediatra, visto que algumas doenças sistêmicas autoimunes, como por exemplo a Artrite Idiopática Juvenil, podem causar inflamações intraoculares que precisam ser diagnosticadas e tratadas precocemente.

Fique atenta! Olhar de mamãe e vovó é sempre muito bem vindo! Se notar algo estranho, não hesite em pedir ajuda ao seu pediatra ou oftalmologista. Com esses cuidados, seu filho estará livre de problemas graves ligados ao desenvolvimento visual e, caso algo fora do padrão aconteça, o seu oftalmologista indicará o melhor tratamento possível.

Dra. Luciana Peixoto Finamor

Clínica de Olhos Dr. Moacir Cunha
Al. Gabriel Monteiro da Silva, 1000
Fone: 11-3016-9900
Instagram: @dralucianafinamor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s