Crianças e Sabores

Por Dra.  Maria Carolina Pedrosa

Minhas queridas mães!

Hoje estou aqui, não só para uma matéria informativa, mas principalmente para compartilhar algumas coisas que eu percebo como nutricionista e observadora. Eu ainda não passei por essa experiência enriquecedora e transformadora de ser mãe. Mas já sou tia de 2 lindas meninas: Lara, de 4 anos e meio e Alice, de 1 ano e meio e sempre que posso, participo das suas conquistas e desenvolvimento. Eu também sou uma grande observadora e admiradora de mães e pais que trazem seus filhos, preocupados com a saúde deles, ou pelo peso inadequado para a idade ou por alguma dificuldade de adaptação à rotina alimentar da casa.

bebecomendo

O paladar infantil, tão acostumado com o sabor do mesmo leite durante meses, se torna adaptável, acolhendo com muita facilidade (e curiosidade) cada novo sabor que lhe for apresentado no período de desmame, aceitando-os com naturalidade. As preferências alimentares da criança serão formadas a partir da qualidade e variedade de alimentos que lhe serão oferecidos. E o hábito alimentar da casa é o fator principal que determina como serão as escolhas da criança no futuro.

Diante disso, vejo que na prática costuma funcionar a aplicação de algumas regras que têm o objetivo de facilitar o processo de escolha do que deve ou não ser oferecido para a criança, influenciando positivamente o modo como ela irá se alimentar, favorecendo a sua abertura para um cardápio amplo e rico em nutrientes e sabores diversos.

Então, fiz uma “coletânea” das atitudes e regras que observei, ao longo dos meus 11 anos de prática clínica, e comprovei que mais deram resultado na criação de um hábito alimentar saudável:

– Os primeiros 2 anos são cruciais para o desenvolvimento do comportamento alimentar. Durante essa fase, aproveite para tornar o hábito alimentar da casa mais saudável, evitando comprar alimentos muito industrializados e deixando visíveis os alimentos frescos e coloridos (frutas, legumes, tubérculos e verduras);

– Ofereça 1 alimento novo no mesmo dia em que a criança consumir outro alimento que já conhece e aceita;

– Mude as formas de apresentação do alimento. Por exemplo: ofereça mandioquinha em purê, na outra semana, bem cozida e em pedaços, na outra vez, na sopa batida;

– A chance de aceitação aumenta se a criança puder pegar nas mãos o alimento que está sendo oferecido na refeição, mas na sua forma in natura;

– Rejeições alimentares podem acontecer e isso não significa que se deve desistir de oferecer o mesmo alimento. Pelo contrário! Ofereça-o de novo 3 ou 4 dias depois. Se a rejeição se repetir, volte mais uma vez a oferecer o mesmo alimento, com uma forma de apresentação diferente e junto com um alimento que a criança já aprova;

– Em algumas fases, as crianças gostam de monotonia no cardápio. Então, não estranhe se ela pedir para repetir uma mesma fruta ou legume 2 a 3 vezes no mesmo dia. Logo ela vai mudar de opção!;

 – CRIANÇA PODE DEIXAR COMIDA NO PRATO SIM! Isso ajuda a respeitar e regular as sensações de fome e de saciedade;

– Quanto mais tarde a criança ganhar contato com açúcares, doces e refrigerantes, menor será a chance de apreciá-los. Tente colocar como regra em casa, a oferta desses alimentos após os 2 anos de idade;

– A regra anterior não vai funcionar para o segundo ou terceiro filho, a exemplo do que acontece com a minha sobrinha mais nova. Quando o próximo filho nascer, o primeiro já conhecerá todos os alimentos e é bem provável que sirva como modelo. Não ofereça ao mais novo, espere que ele manifeste a sua vontade;

– Claro que é inevitável participar das festas de aniversários de outras crianças, onde sabemos que é grande a oferta de doces, salgadinhos e refrigerantes. Não proíba. Apenas não ofereça. Deixe que a criança expresse sua própria vontade de experimentar;

– Para as crianças que já expressam as suas vontades e pedem constantemente por pipoca, bolachas, doces, chocolates, sorvetes e afins: mostre um calendário e estimule a criança a escolher 1 dia para consumir um desses itens. Se a criança pedir o alimento desejado antes do dia, volte a mostrar o calendário apontando o dia combinado. Mas ao chegar a data, é importante que o combinado seja cumprido!

– Não transforme as guloseimas em premiações por boas notas na escola ou por bom comportamento;

– Para os pais que trabalham muito e passam muito tempo longe dos seus filhos. Não se culpem! Isso faz parte da demonstração do amor e da responsabilidade que vocês têm por eles. Então, não é preciso “compensar” essa ausência com a oferta de tudo o que os pequenos gostariam de comer. Ao invés disso, aproveite o tempo que vocês passam juntos com qualidade e em atividades que aproximem vocês.

Eu espero que esses simples toques possam trazer conforto e incentivo a todas vocês. Vamos aproveitar esse momento em que o mercado se preocupa com a proposta de ofertar alimentos de maior qualidade, selecionados, orgânicos. Temos tanto da natureza à nossa disposição agora! Que seja natural o processo de escolha pelo que é melhor para a nossa saúde e a saúde dos nossos pequenos!!

                                                                  www.dracarolpedrosa.com.br                                                                                carol@dracarolpedrosa.com.br                                                                                                                                                 (11) 99446-1340

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s