O que é erosão dentária?

Por Dra. Marilia Vanzelli

Desde o início dos anos 90, houve um aumento significativo na prevalência de erosão dentária,e atualmente alguns estudos vêm demonstrando um aumento da sua frequência em crianças. Isso acontece porque houve também uma mudança no padrão de consumo de bebidas ingeridas, pois sucos de frutas e refrigerantes são cada vez mais frequentes. Os de laranja e uva, por exemplo, estão entre os preferidos pelas crianças e geralmente são vistos como opções saudáveis pelos pais.

No entanto, o seu consumo frequente traz riscos não só pela quantidade de açúcar (principalmente no caso dos sucos artificiais), que predispõe ao aparecimento da cárie. Mas, também pela sua acidez, que pode levar a erosão dentária. O mesmo pode ser dito dos refrigerantes, que são ainda mais ácidos.

Existem três tipos principais de desgaste dentário:

  • Abrasão;
  • Atrição;
  • Erosão.
 
Abrasão

Clinicamente observamos um desgaste localizado na região onde o objeto/tecido mole entra em contato com os dentes, normalmente na região próxima à gengiva, a lesão é mais profunda que larga, e o tipo de desgaste é mecânico. A causa se deve à escovação com forca excessiva, onicofagia (ato de roer as unhas), palitar os dentes e em tocadores de instrumentos de sopro.

Atrição

Um exemplo claro é o bruxismo. Clinicamente vemos desgaste generalizado nos dentes de forma horizontal, tento o mesmo desgaste no esmalte e na dentina, e as lesões de dentes opostos se encaixam quando o paciente morde.

Erosão

É um tipo de desgaste químico, onde a causa se deve por um ataque ácido. Podemos citar como exemplos: o refluxo gastroesofágico crônico, e consumo excessivo de refrigerantes e sucos. Clinicamente há uma superfície excessivamente lisa e brilhante, formação de concavidades nas superfícies oclusais (onde mordemos).

A causa da erosão dentária é o ácido gástrico presente no estômago, que é levado a cavidade oral quando ocorre o refluxo gastresofágico, regurgitação ou vômito, e assim entra em contato com os dentes.

Já os fatores externos que contribuem para a erosão são constituídos por soluções ácidas provenientes de diversas fontes como: ácidos de alimentos e bebidas, medicamentos de uso crônico, produtos de higiene oral e drogas ilícitas. Sucos cítricos (sendo naturais ou artificiais), refrigerantes, isotônicos e líquidos fermentáveis podem ter o pH ácido e causar erosão dentária quando ingeridos com frequência.

A melhor medida para prevenção contra a erosão dentária é a identificação e eliminação das fontes dos ácidos, e a diminuição de exposição dos dentes às substâncias. O dentista deve analisar cuidadosamente a dieta, histórico médico e hábitos do paciente, para orientá-lo da melhor maneira, no intuito de prevenir ou minimizar o problema.

Podemos dar algumas dicas aos nossos pacientes com intuito de prevenção: utilizar canudos para ingerir as bebidas ácidas, não escovar os dentes logo após vomitar ou ingerir bebidas ácidas, fazendo bochechos com água ou soluções remineralizastes após a ingestão dessas substâncias.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s